• Dra. Daniela Telo

Descasque mais, desembale menos


A primeira grande causa do boom de obesidade sem dúvida alguma está na desvitalização do que comemos. A urbanização e a falta de tempo para cozinhar, nos atira de cara na bomba dos alimentos ultra processados cheios de conservantes, flavorizantes, corantes, adoçantes são tantas siglas que, para confundir o conteúdo com a embalagem falta beeem pouco...

Como esperar que o nosso cérebro, sabidamente ávido por prazer, entenda que aquele sabor que amarra na boca de tão doce, na verdade não contém calorias ? Opa ? Quero mais ! Por incrível que pareça, além da ultra palatabilidade os adoçantes artificiais, por exemplo, são capazes de aumentar nossa produção de insulina !!!! Isso mesmo, novos estudos vem demonstrado que todos adoçantes artificiais inclusive a Sucralose, aumentam a nossa insulina, acreditam ? E o que acontece quando aumentamos a insulina sem ter a glicose circulante ? isso mesmo, hipoglicemia e, antes de um desmaio, nosso cérebro nos obriga a COMER. Temos FOME por alimentos ricos em carboidratos já que são eles os responsáveis pela subida do açúcar no sangue. Quantos de vocês já se pegaram tomando uma coca zero e depois traçando um sanduíche com mais voracidade e prazer da vida ? Até o Stevia entrou nessa flagra com um estudo que demonstrou seu metabólito esteviol aumentando a nossa produção de progesterona !!!! Pois é, parece que o último sobrevivente dos adeptos da comida "natural" foi desmascarado.

Mais perigoso que comer achando que está "abafando", é desconhecer o estrago que os chamados disruptores endócrinos ou DE podem fazer quando expostos durante a gestação ou durante a infância. Os DE são substâncias exógenas capazes de agir como hormônios e causar por exemplo: mais fome por doce e obesidade, propensão ao diabetes, puberdade precoce, infertilidade, abortamento, entre outros danos à saúde ao longo de todas as etapas de vida de um ser humano.

Essa foto eu tirei do estacionamento do Hospital Albert Einstein com o nome 'MÁQUINA SAUDÁVEL'... Até eu quase cai nessa ... com fome e exaurida de cuidar das mazelas humanas, fiquei bem feliz com o chamado para saúde ainda mais com o aval EINSTEIN, certo ? Errado. Apesar de tudo colorido não achei nenhuma fruta e fui ficando enfurecida em imaginar como os apelos "integral", "sem lactose", "diet', "zero", "sem glúten", "coco natural" estão confundindo, empobrecendo e adoecendo milhares de pessoas vítimas de embalagens que em raríssimas exceções fazem jus a palavra saudável. Para exemplificar um desses alimentos pseudo saudáveis: 1 mini bolinho integral da máquina tem 6,3g de gordura saturada, edulcorante, flavorizantes, conservantes entre outras tantas substâncias que não servem para saciedade. É chegada a hora de resgatarmos o verdadeiro sentido do que é saudável. É saudável esse bolinho integral, sem leite, sem glúten, diet ... não precisa ser sábio para imaginar o que a indústria põe para tornar isso, pelo menos, a memória do que sobra de um bolo e dá-lhe aromatizante, certo ? Já foi o tempo em que contar calorias servia para emagrecer. Porque ? Poque é melhor comer uma fatia de bolo de verdade e sem culpa. A satisfação e a saciedade virão junto a ingestão de menor quantidade na próxima refeição, em especial se for essa o jantar e capaz de você emagrecer. Sabe porque ? Ao comer um bolinho desse, cheio de adoçante, perdemos a capacidade de sentir sabores menos doces e como a nossa glicemia já caiu, aliada a ilusão de termos comido pouco, e dentro da "dieta" advinha o que vai acontecer no jantar ? Você estará com muuito mais fome e dará preferência aos carboidratos de mais rápida absorção justamente para sanar a sensação de hipoglicemia.

Os disruptores endócrinos (DE) mais conhecidos são: os agrotóxicos, os estrogênios utilizados para engordar animais, os hidrocarbonetos aromáticos, a nicotina, o glutamato monossódico, a soja e o Bisfenol A (BPA) e os ftalatos. Esses dois últimos, apesar de terem sido banidos das mamadeiras, permanecem presentes em embalagens plásticas como garrafinhas, tapewares, e afins. Se liberados com o aquecimento, contaminam os alimentos e, como é característico de todo DE, só precisam de muito pequenas concentrações para causar danos. No caso do plástico, temos evidências do aumento da obesidade, da fome, da puberdade precoce em meninas e maior tendência a ingestão de doces.

Até bem pouco tempo desconhecíamos o poder dos adoçantes artificiais como DE. Hoje, alguns estudos mostram, por exemplo, que curta exposição, pelo período de 8 semanas, de 2-3 refrigerantes diets por dia, já foi o suficiente para elevar a glicemia de jejum e alterar a microbiota intestinal !!! Faltam mais estudos em humanos para desvencilharmos as verdadeiras causas desses adoçantes não serem mais inertes metabolicamente mas isso já é um fato.

Por isso minha dica é: descasque mais, desembale menos ! E respondendo sob esse aspecto a pergunta chave desse blog - ' Por quê comemos menos e engordamos mais ?" - " Porque comemos pior "

#Estresse #Saudável #obesidade #alimentosprocessados #disruptoresendócrinos #menosembalagens #comidadeverdade

24 visualizações

R. Urussuí, 92 conj. 116/117
Itaim Bibi | São Paulo - SP

contato@dradanielatelo.com

       clinicadradanielatelo

WhatsApp: (11) 947974929

  • White Instagram Icon

© 2017 por Clínica Dra. Daniela Telo - Medicina do Estilo de Vida e Endocrinologia

Criado orgulhosamente por Duo RP